Sites do GDF ficam fora do ar após tentativa de ataque por hackers

6 de novembro de 2020 Sem categoria 25 Views
A tentativa ocorreu na manhã desta quinta-feira (5/11). A Subsecretaria de Tecnologia (Sutic) da Secretaria de Economia estava em alerta máximo em razão de outras suspeitas de ataques em órgãos da Justiça e do Governo Federal, segundo o Executivo local

Todos os sites do Governo do Distrito Federal estão fora do ar nesta quinta-feira (5/11). A Secretaria de Economia do Distrito Federal (SEEC) identificou uma tentativa de ataque de hackers aos sistemas do Governo do DF. Segundo a pasta, os servidores ficaram indisponíveis por volta das 10h e não há previsão de retorno.

“Frente às suspeitas de ataques em órgãos da Justiça e do Governo Federal, a Subsecretaria de Tecnologia (Sutic) da pasta já estava em alerta máximo para possíveis tentativas e já trabalhava para resolver o problema”, informou a SEEC em nota.

A secretaria diz que a Sutic atua juntamente com Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) para verificar esta questão. Além disso, os técnicos constataram que não houve sequestros de dados. Neste momento, a pasta segue a adotar protocolos de segurança para impedir a continuidade de ataques e reestabelecer o ambiente.

STJ

Na última quarta-feira (4/11), o Superior Tribunal de Justiça (STJ) acionou a Polícia Federal (PF) para investigar um suposto ataque cibernético ocorrido no dia anterior. O sistema do tribunal está inacessível desde às 15h de terça-feira (3/11) e técnicos do STJ avaliaram possíveis danos. Julgamentos foram afetados e todas as sessões foram suspensas.

O tribunal recomendou a todos os ministros e servidores da casa não utilizarem qualquer computador que esteja ligado a algum dos sistemas informatizados do STJ, ao menos até que possa ser atestada a segurança das conexões.

A queda nas transmissões ao vivo provocou o adiamento de diferentes casos rumorosos. A análise de um recurso apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do tríplex do Guarujá (SC), por exemplo, teve de ser prorrogada.

FONTE:  Correio Braziliense

Artigos Relacionados